o trabalho #100HappyDays

10.4.14


sabe que desde 29 de março, eu entrei pra tentar o projeto #100HappyDays, que basicamente, fala pra você tentar ser feliz em 100 dias seguidos. algo para tentar uma felicidade a longo prazo.
eu achei mega interessante isso porque eu pensei 'ah, nem deve ser tão difícil'. e a questão é que é.

a questão é que isso é uma coisa complexa. muito mais do que eu imaginei. é um outro universo a ser descoberto na vida.

eu então comecei a pesquisar sobre felicidade, decisão e alegria de vida. e encontrei muita coisa.

o que eu consegui definir é que (como diria Wander Wildner) eu não consigo ser alegre o tempo inteiro. aliás, ninguém consegue. quem diz que consegue é mentira.

felicidade é uma coisa que se constrói e não apenas existe ou se é.

entendidos vão entender.



















numa dessa navegadas em busca de respostas, eu encontrei um projeto, o Life Listed, onde um cara que tinha depressão profunda nos EUA fez uma lista enorme de tudo que ele queria fazer na vida até 2017, ele conseguiu chegar a 80% da lista. e ela é bem louca. ele até te ajuda a fazer a sua.
essa proposta dele é bem louca porque ele diz que você tem de questionar coisas como, por exemplo, 'Is your work contributing to a greater good?' ou 'Are your daily tasks making you a better entrepreneur?' e isso é muito complicado de se quanticar porque não necessariamente o seu trabalho é algo que vá gerar um resultado impactante no mundo, entende? não é todo dia que se descobri a cura para a AIDS para você dizer que seu trabalho, o que você faz todas as horas que fica no escritório, traz de benefício para o universo. e que tudo bem isso. ninguém precisa salvar o mundo para que seu trabalho importe.



bom, eu me inscrevi e tô vendo o que acontece. você recebe newsletters de tempos em tempos e ele diz umas coisas legais. quem sabe ele me dá uma lista miraculante onde eu largo tudo na vida e vou fazer.

(*suspiro*)

o resultado disso é que o que eu descobri é que felicidade é um dos conceitos mais complexos ensinados hoje no mundo.

primeiro porque o mundo implicita que isso é uma coisa que EXISTE. pura e simplesmente. e nós somos ensinadas 'a ser feliz'. encontrar um marido, um trabalho, uma 'realização' na vida. e que isso vai te fazer feliz. e aí que você faz tudo isso e fica esperando a felicidade transbordar na sua vida. e não é isso que acontece.

falar que você não é 'completamente' feliz hoje em dia é crime. o mundo acha que você é uma deprimida, 'mal-amada' e começam a questionar o que VOCÊ está fazendo de errado. aí, meu amigo, é daí pra baixo porque você também começa a achar que o erro é você.

e você começa a pensar que o erro está no seu trabalho, na sua vida, no seu bairro...

eu comecei a pesquisar outros estilos de vida e comecei a descobrir um mundo.

olha só, eu achei esse blog, da Fê Neute, que ela largou tudo na vida pra viajar e ser uma nômade digital. by the way, ela também pesquisa sobre felicidade.

eu achei esse negócio de viajar o mundo com uma mala de 40 quilos, louco. bom, pelo menos pra mim.

mas eu achei interessante que ela fala uma das coisas que me fez mudar de ponto de vista: quando você toma certas decisões na vida, você tem de saber a dor que vem para você alcançá-la.

Qual é a dor que você está disposto a suportar para ter o que quer?















e acho que esse é o pedaço mais difícil de chegar lá. ninguém imagina quanto perrengue pode ou quer aguentar. e isso dificulta chegar ao destino.
no meio do caminho se desiste.

esse texto me ajudou muito, de verdade.

e aí uma coisa leva a outra e eu comecei a pesquisar sobre isso. e encontrei o blog do James Altucher e ele é bem realista. gostei disso.
ele fala que é sempre necessário se reinventar, mas que isso é mais complicado e toma mais tempo do que se imagina. Leia aqui (em inglês).
aliás: leia. se não fala inglês, joga no Google Translator. esse é O MELHOR 'reinvente você mesmo' que eu já li até hoje na minha vida.

e isso volta na questão dos perrengues para chegar em algum lugar que se queira. quer dizer né??

mas isso é possível. totalmente possível.


e eu também achei esse post do Brasil Post sobre 21 hábitos das pessoas extremamente felizes.

e eu descobri que ser feliz dá mais trabalho do que ensinam pra gente. dá, mas tem que ter dedicação. e que ser feliz é uma coisa que você trabalha nela e não simplesmente é.

você nunca vai acordar e ser feliz o resto da vida. você vai trabalhar várias horas para alcançá-la.

e vai trabalhar MUITO MAIS para mantê-la.

eu continuo firme no #100HappyDays, e não é todo dia que se consegue ser happy. mas o incrível é que não é todo dia que não se é. e que o esforço passa a ser mais normal, não mais fácil ou menor, mas normal. vira o teu dia.

alguém aqui tentou?

Você também pode gostar de:

0 comentários

Seguidores